sábado, 25 de abril de 2015

Vamos invadir Caruaru!



Hino do Santa Cruz




O troféu do Campeonato Pernambucano 2015


O TROFÉU DO CAMPEONATO PERNAMBUCANO 2015

A Federação Pernambucana de Futebol apresentou o troféu de campeão pernambucano deste ano, chamado de “Campeão do Centenário”. É uma autorreferência, com a homenagem ao centenário da FPF em 2015, agendado para 16 de junho. A explicação é necessária pois o nome oficial da taça entregue na última edição foi semelhante, também em alusão ao número “100″, por causa da centésima edição do Estadual em 2014. O novo campeão do nosso futebol será conhecido no dia 3 de maio.
Vale lembrar que a FPF criou um modelo fixo em 2013 para todos os anos, como ocorre na Taça Libertadores da América e Champions League. O modelo – com metal dourado e base azul – foi entregue ao Tricolor. Contudo, na temporada seguinte, foi confeccionada uma taça especial para o centenário do campeonato estadual e o modelo fixo acabou sendo esquecido.
Recentemente ainda houve um outro fato pitoresco. Em 2012 foram dois troféus! Na prática, apenas um podia ser chamado assim. O modelo original parecia uma placa comemorativa, produzido pela Rede Globo Nordeste (homenageada pelos seus 40 anos), mas não agradou a cúpula da entidade. No dia da final, na Ilha do Retiro, surgiu um segundo troféu, que também trazia o logotipo da emissora estilizado – o Santa Cruz ficou com as duas versões.

2009 – Troféu Governador Eduardo Campos (Sport)
2010 – Troféu Tribunal de Justiça de Pernambuco (Sport)
2011 – Troféu 185 anos da Polícia Militar de Pernambuco (Santa Cruz)
2012 – Troféu Rede Globo Nordeste (Santa Cruz)
2013 – Troféu FPF (Santa Cruz)
2014 – Troféu 100 anos do Campeonato Pernambucano (Sport)
2015 – Troféu Centenário da FPF (Central, Salgueiro, Santa Cruz ou Sport?)

Fonte: Diario de PE, Recife, 24/4/2015

Força total!


FORÇA TOTAL!

Fernando Veloso

Durante coletiva nesta sexta-feira, no Arruda, o técnico Ricardinho foi indagado diversas vezes sobre qual seria a escalação do Santa Cruz para a partida de domingo com Central, em Caruaru, mas o treinador não cedeu à pressão dos repórteres e manteve sua formação principal guardada a sete chaves. “Não tem jeito, vocês só vão saber quem joga no domingo. Vamos treinar à tarde, amanhã também pela manhã, para terminarmos a preparação. Está tudo certo, os jogadores estão preparados, tenho certeza de que não vai acontecer nada. Infelizmente no último jogo aconteceu, teve o problema no Raniel na véspera, mas dessa vez acho que não vai ocorrer”, disse.
Apesar de não adiantar nomes para o confronto de domingo, o comandante coral falou que vai para a partida com força total. “Não é momento de poupar ninguém, vamos com a força máxima possível. O jogo é importante para nós, é uma responsabilidade muito grande. A partida é decisiva, vamos enfrentar uma boa equipe, que fez um belo campeonato até agora. Se conseguimos uma boa vantagem no primeiro jogo, foi porque fizemos uma grande apresentação. Mas é domingo é decisão e vamos encarar dessa forma.”
O treinador também explicou como foi o lance que tirou Raniel do Campeonato Pernambucano. “Foi um lance normal. Nossos treinamentos são bem disputados, mas com lealdade. Não houve uma entrada mais dura, o rachão faz parte dos treinamentos e continuaremos fazendo sem problema nenhum”, contou.
Ricardinho pregou respeito ao Central e rechaçou a ideia de administrar o resultado. “Eu joguei 17 anos de futebol, nesse tempo vivi muitas situações. Quem trabalha no futebol, não lida com paixão, lida com realidade, com respeito ao adversário. O maior respeito que você pode passar pro adversário é jogar bem contra ele, buscar o gol, não tem essa de já ganhou. Então por ter essa experiência no futebol , entendo que é importante você estar preparado para tudo que pode acontecer numa partida. Estamos absolutamente focados naquilo que queremos, a classificação.”

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 24/4/2015

Torcendo pelo Salgueiro


TORCENDO PELO SALGUEIRO

Felipe Amorim

“Vou torcer para o Salgueiro”. A frase dita pelo zagueiro Alemão, já no fim da sua entrevista coletiva desta sexta-feira (24), no Arruda, poderia soar como uma provocação com o rival Sport, adversário do Carcará no domingo, mas não. Ex-atleta do clube sertanejo entre 2011 e 2012, o defensor, que hoje defende as cores do Santa Cruz, revelou sua preferência pelo carinho com o ex-clube.
“Como joguei no Salgueiro e tenho amigos lá, sempre torço pelo clube e vou torcer contra o Sport, pois ficou um carinho enorme. É um clube em crescimento e merece colher esses frutos”, disse Alemão.
Sobre a partida decisiva que terá diante do Central, apesar dos 4x0 na ida, o defensor não acredita que encontrará facilidade. “É uma vantagem muito boa, não se pode negar, mas não podemos entrar em campo achando que já ganhamos. Temos que focar como se fosse um jogo normal. Lá, em Caruaru, vai ser uma nova partida, totalmente diferente. Jogar lá é sempre muito difícil e acredito que dessa vez não será diferente”, completou o zagueiro.

Fonte: JC, Recife, 24/4/2015

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A volta de Tiago Cardoso


A VOLTA DE TIAGO CARDOSO

Yuri de Lira

Tiago Cardoso deu mais um passo importante para a sua volta aos gramados. Na tarde desta segunda-feira, o atleta subiu para campo pela primeira vez para trabalhar com bola. Após ser acometido por uma grave lesão joelho direito, ainda em 22 novembro do ano passado, o jogador segue na transição para poder retornar aos jogos oficiais.
O ídolo tricolor está há um mês na transição, onde fazia sessões de hidroterapia e atividades específicas com o preparador Bosco. Liberado pelo departamento médico em 24 de março, Tiago Cardoso deve demorar mais quatro semanas para poder começar a trabalhar com os outros goleiros do elenco. A previsão de retorno dele, portanto, é apenas na Série B do Campeonato Brasileiro - que inicia em 9 de maio.
No treinamento desta tarde, no Arruda, Tiago Cardoso ganhou dedicação exclusiva de Bosco. Ainda um pouco travado, parou várias vezes os trabalhos para conversar com o preparador. Não se furtou de usar a perna direita para chutar algumas bolas. Mas sem tanta confiança como mostrou na esquerda. Com uma hora de treino, o goleiro desceu dos vestiários antes do fim das atividades para o restante do grupo.

Fonte: Diario de PE, Recife, 20/4/2015

terça-feira, 21 de abril de 2015

domingo, 19 de abril de 2015

Santa Cruz 4 x 0 Central


SANTA CRUZ 4 x 0 CENTRAL

William Tavares

Sem dó nem piedade, o Santa Cruz massacrou o Central neste sábado (18), no Arruda, na primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano 2015. Com uma noite inspirada de Alemão e Betinho, cada um balançando a rede duas vezes, o Tricolor derrotou a Patativa por 4×0. O Santa pode perder por até três gols de diferença no jogo da volta, no Lacerdão, que ainda se classificará para a final do Estadual.
O técnico Ricardinho guardou a escalação coral até os últimos minutos. Engana-se, porém, quem pensa que a demora foi apenas para não dar pistas ao adversário. Com uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito, o meia Raniel fez um teste de última hora para saber se teria condições de jogo. Não suportou as dores e teve que dar lugar a Emerson Santos. Outra mudança, essa por ordem técnica, foi a opção por Bileu na cabeça de área na vaga do jovem Welington Cezar, cotado anteriormente para começar no time principal.
No papel, a formação do Santa era classificada como 4-5-1, mas em campo o desenho era o de um tradicional 4-4-2, com Emerson Santos ao lado de Betinho no ataque. Buscando uma troca de passes rápida no meio-campo, o Tricolor pressionou o Central nos primeiros minutos. Os mandantes só não foram mais perigosos por conta dos sucessivos erros na hora do passe final.
Aos 38 e aos 40, o Tricolor teve por duas vezes a chance de tirar o grito de gol da garganta do torcedor. Primeiro com Bruninho, que ao receber ótimo passe de João Paulo ficou na cara do gol e isolou. Um minuto depois, o meia novamente trabalhou como garçom. Cruzamento para Betinho. O centroavante só raspou na bola e mandou para a linha de fundo. Mas um camisa 9 que se preze não desperdiça duas chances seguidas. Aos 46, Renatinho acertou cruzamento na medida para Betinho balançar as redes do Arruda.
Precisando soltar mais a equipe, o técnico Laelson Lima fez duas substituições, sacando Fabiano e Natan para as entradas de Willian e Fernando Pires. O treinador só não esperava que ainda no início do segundo tempo fosse perder um jogador. Juninho recebeu o segundo amarelo após falta em Renatinho e recebeu o vermelho. Depois, foi a vez de Sinval ir para o chuveiro mais cedo depois de derrubar Nathan.
Com dois a menos em campo, o Central guardou sua energias para evitar que o Santa ampliasse sua vantagem. E foram muitas as chances criadas pelo Tricolor. Nathan e Alemão chegaram a marcar, mas ambos estavam impedidos.
Aos 36, não teve bandeira nem goleiro que impedissem a festa coral. Nininho chuta cruzado e Mattia salvo quase em cima da linha. No rebote, Alemão solta o pé e aumenta o marcador. E a noite era mesmo do zagueiro coral. Após cobrança de escanteio, Alemão completou de cabeça para fazer seu segundo gol da partida e o terceiro do jogo. Para fechar a conta, e também fazer sua dobradinha na partida, Betinho aproveitou falha da zaga para sacramentar a vitória coral por 4×0, praticamente definindo a vaga do clube na final do Pernambucano.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Fred; Nininho, Alemão, Diego Sacoman e Renatinho; Bruninho (Nathan), Bileu, João Paulo (Thiaguinho), Guilherme Biteco (Pedro Castro) e Emerson Santos; Betinho. Técnico: Ricardinho.

CENTRAL: Beto; Ferreira, Sinval, Éverton e Madona; Natan (Fernando Pires), Jucemar Gaúcho, Tiago Laranjeira e Juninho Silva; Candinho (Mattia) e Fabiano (Willian). Técnico: Laelson Lima
Local: Arruda (Recife). Árbitro: Sebastião Rufino Filho. Assistentes: Albert Júnior e Wlademir de Souza Lins. Gols: Betinho (aos 46 do 1ºT e aos 47 do 2ºT) e Alemão (aos 36 e aos 44 do 2ºT). Cartões amarelos: Candinho, Beto, Juninho , Sinval, Mattia (C); Pedro Castro (S). Cartão vermelho: Juninho, Sinval (C).

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 18/4/2015

sábado, 18 de abril de 2015

Ricardinho convoca a torcida coral


RICARDINHO CONVOCA A TORCIDA CORAL

Yuri de Lira

Nos jogos que comandou o Santa Cruz no Pernambucano, Ricardinho quase sempre viu públicos módicos no Arruda. A exceção foi na primeira rodada - no clássico com o Sport, mas quando os rubro-negros também ocuparam boa parte do estádio coral. Agora, para a primeira semifinal do Pernambucano, a expectativa é de casa cheia, praticamente, só com tricolores. Mais de vinte mil corais são aguardados no José do Rêgo Maciel. O treinador ressaltou a força da torcida e pede apoio dos torcedores no confronto com o Central, marcado para 18h30 deste sábado.
"A torcida é o grande reforço nosso. É o grande atacante nosso. Sem dúvida nenhuma, é com ele que nós contamos para mexer com a equipe, para empurrar o time. Eu conto com isso. Dentro do nosso planejamento de jogo, há uma situação que se chama torcedor. Ele tem o papel de fazer a diferença", afirmou Ricardinho.
O comandante coral reforça, no entanto, que este aliado das arquibancadas só jogará mesmo com o Santa Cruz se a equipe tricolor corresponder dentro de campo na partida deste sábado. E cobra isso dos seus jogadores. "Lógico que o apoio só vem com uma retribuição nossa."

PÚBLICOS NO ARRUDA EM 2015

31 de janeiro
Santa Cruz 0 x 3 Sport - 24.143

21 de fevereiro
Santa Cruz 0 x 1 Salgueiro - 9.992

15 de março
Santa Cruz 1 x 0 Central - 8.540

21 de março
Santa Cruz 3 x 0 Serra Talhada - 14.301

Total: 71.690

Média: 14.338

Fonte: Diario de PE, Recife, 17/4/2015

Escalação não divulgada


ESCALAÇÃO NÃO DIVULGADA

William Tavares

O técnico Ricardinho já definiu a equipe titular do Santa Cruz que entra em campo neste sábado (18), contra o Central, no Arruda, pela primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano 2015. A divulgação da escalação, por outro lado, só sairá momentos antes do jogo. Mistério para dificultar a vida da Patativa e tentar surpreender o adversário.
“Não tenho dúvida. Nunca tive na verdade. Mas às vezes precisamos de privacidade para alguns treinamentos. Numa reta final de campeonato, existem questões que são importantes e dentre elas estão treinamentos para exercitar a equipe em situações diferentes. Só vou passar a escalação amanhã. Não para criar uma dúvida na cabeça de vocês (imprensa), mas sim na do adversário”, afirmou o treinador.
Apesar de uma base praticamente definida, no esquema 4-5-1, o técnico explicou que utilizou os treinamentos desta semana para testar variações que possam ser usadas em campo.
“Futebol exige variações e treinamos algumas. Mas também respeitamos as características dos jogadores. Não vamos colocar um jogador que não tenha característica para exercer outra função. Temos uma forma de jogar e vamos manter, mas lógico que teremos variações. É difícil uma equipe jogar da mesma forma do inicio ao fim do campeonato”, citou.

Torcida

Independente da formação tática ou de quem comece jogando, o Santa já tem sua principal arma preparada para ajudar a equipe no Arruda. “A torcida é o nosso grande reforço, nosso atacante. É com eles que contamos para empurrar o time. Ela tem esse histórico. Dentro do nosso planejamento tem uma parte chamada ‘torcedor’. Ele pode fazer a diferença. A tendência é ter o estádio cheio nesse jogo e contamos com o apoio dele”.

Fonte: Blog de Primeira, Folha de PE, 17/4/2015

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Somos favoritos?


SOMOS FAVORITOS?

Yuri de Lira

Renatinho endossa a corrente que aponta o Santa Cruz como favorito nas semifinais com o Central. Apega-se ao histórico recente entre os clubes e ao passado mais vitorioso dos corais no Pernambucano em relação à Patativa. Indica, aliás, que o suposto favoritismo do Tricolor pode ser prejudicial ao adversário nos dois duelos que valem vaga na decisão. Segundo o lateral esquerdo, que irá substituir o suspenso Tiago Costa no primeiro duelo com os alvinegros, o time caruaruense pode sentir a pressão.
"O favoritismo ajuda. Coloca mais pressão sobre o adversário", falou. Mas pondera. "Nos saímos bem nos dois jogos que tivemos com eles (foram duas vitórias), mas não podemos relaxar. Agora, vai ser outro campeonato, é mata-mata", declarou o atleta tricolor.
O lateral não crê, por outro lado, que o favoritismo acabe atrapalhando a sua equipe. "Vejo como motivação. Vejo pelo lado bom, de a torcida vir nos apoiar, de querer vencer. Isso me motiva. Espero que motive também os outros jogadroes para conseguirmos um resultado bom."
O jogador se diz ainda ciente da importância desses confrontos. Não só pela vaga na final, mas para o futuro do clube na próxima temporada, já que a classificação garantirá também a presença do Tricolor nas no Nordestão e na Copa do Brasil de 2015. "Todos aqui têm ciência que o Santa Cruz com o calendário cheio é melhor para todos. Não podemos deixar escapar essa chance."

Fonte: DP, Recife, 15/4/2015

Central divulga preços dos ingressos em Caruaru


Estádio Lacerdão

CENTRAL DIVULGA PREÇOS DOS INGRESSOS EM CARUARU

William Tavares

Já pensando no jogo de volta das semifinais do Campeonato Pernambucano 2015, contra o Santa Cruz, no Lacerdão, o Central divulgou o valor dos ingressos para o confronto que pode levar a Patativa para a decisão do Estadual. Os preços serão de R$ 40 para arquibancada, R$ 20 para estudante e R$ 80 para cadeira cativa. As vendas para os centralinos serão realizadas na bilheteria da Rua Campos Sales. Já a torcida coral poderá adquirir os ingressos na Rua Professor José Leão. Os tickets só poderão ser adquiridos na véspera do jogo.
Antes, o Central encara o Santa Cruz neste sábado (18), às 18h30, no Arruda, pela primeira partida da semifinal. Os valores promocionais colocados pela diretoria coral para esse confronto encerram-se nesta quarta (15). Das 8h às 18h, na sede da Cobra Coral, os torcedores poderão adquirir os bilhetes aos preços de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). Depois disso, o reajuste será para R$ 40 e R$ 20. Não há previsão de prorrogação da promoção.

Fonte: Blog de Primeira, Folhape, Recife, 15/4/2015

Rumo ao mata-mata


RUMO AO MATA-MATA

Felipe Amorim

Além do fator financeiro, o Santa Cruz teve outro grande prejuízo ao ficar de fora das copas do Brasil e Nordeste. Sem disputar as duas competições no primeiro semestre de 2015, o time coral chega à semifinal sem a experiência de ter participado de um mata-mata na atual temporada. Será o primeiro teste para um grupo montado neste ano.
Para o atacante Betinho, a dificuldade existe, de fato, mas não pode se tornar um obstáculo a mais para uma equipe que precisa chegar à final para o filme não se repetir em 2016. “É bastante complicado não ter jogado um mata-mata nesse ano. Mas estamos bem atentos a esse jogo. Se passarmos para a final, já vamos estar classificados para as competições no próximo ano”, frisou o camisa 9 do Santa Cruz.
Sobre como se portará o Central, Betinho acredita que, após dois revezes na fase do Hexagonal do Título, o time caruaruense não ficará muito exposto. Ele acha que a Patativa tentará levar a decisão para o jogo da volta, em Caruaru. “Serão duas partidas muito difíceis. Acho que eles virão bem retrancados aqui no Arruda, mas estamos trabalhando forte para conseguirmos furar a retranca e sair com a vitória”, disse o artilheiro do time na temporada, com três gols.

Fonte: JC, Recife, 15/4/2015

terça-feira, 14 de abril de 2015

O futuro de Caça-Rato


O FUTURO DE CAÇA-RATO

Thaís Lima

Um dos personagens mais carismáticos na história recente do Santa Cruz, o atacante Flávio Caça-Rato está sem time. O jogador chegou ao Remo com status de grande estrela para a temporada. Até a torcida foi até convocada para fazer festa para ele no aeroporto. Mas, em campo, produziu pouco e ainda teve que conviver com salários atrasados. O atacante ainda alega que teve problemas até no hotel que ficou hospedado, com pagamento sob responsabilidade do antigo clube.
Depois da decisão de deixar o time de Belém do Pará, Flávio Caça-Rato retornou ao Recife. Por pouco tempo. Pelo menos é o que ele espera. O jogador quer "rodar" para, quem sabe, voltar ao Santa Cruz no futuro.
“Cheguei de Belém agora há pouco e vou conversar com o meu empresário para ver o que ele tem para mim. Não tem nada definido ainda, mas acho que não está na hora de voltar (para o Santa Cruz). Tenho que ir para outro canto, rodar um pouco por outros clubes”, afirma Caça-Rato.
Decepcionado com a passagem pelo Remo, onde não conseguiu render o que esperava no clube, o atleta revela que passou restrições financeiras. “Quando cheguei lá (em Belém), a realidade era diferente do que haviam me prometido. Salários atrasados, teve aquela história de não pagarem o hotel. Essas coisas que aconteceram foram o motivo de eu ter deixado o clube", declarou.
Flávio Caça-Rato chegou ao Remo em 8 de janeiro deste ano. A sua estreia parecia mostrar um futuro promissor no clube. Ele converteu a última cobrança da série de pênalti que deu o título da Copa da Amazônia em cima do Paysandu. Depois, contudo, ele caiu de desempenho e perdeu espaço na equipe ainda sob o comando de Zé Teodoro, que também deixou o Remo.
No fim da curta trajetória, o atleta se queixou de salários atrasados e pediu para sair após ter marcado apenas três gols. Ele ainda se envolveu em uma polêmica após demorar para se reapresentar. Um desempenho, portanto, diferente que teve no Santa Cruz. No Tricolor do Arruda, ele conseguiu dois acessos (Séries D e C) e dois títulos estaduais (2012 e 2013).

Santa também nega interesse
A diretoria do Santa Cruz não cogita, pelo menos por enquanto, uma volta do atacante ao Arruda. Perguntado sobre a possibilidade, o vice Constantino Júnior foi enfático. "Não", respondeu. "Sabemos que Flávio está sem clube, mas não há chance nenhuma", completou. Em seguida, porém, quando questionado se as portas estavam definitivamente fechadas para o atleta, deu um fio de esperança para os torcedores que ainda querem o seu retorno. "No futebol não se pode desmerecer ninguém. Principalmente um jogador como Caça-Rato, que passou por aqui, fez sucesso e tem o carinho da torcida."

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 14/4/2015